Veeam garante multi-cloud com agilidade e segurança

Veeam garante multi-cloud com agilidade e segurança

A indústria da tecnologia tem mudado numa velocidade sem precedentes. Por isso, as organizações precisam se adaptar num ritmo cada vez mais acelerado. As soluções que utilizamos nas empresas de hoje provavelmente não serão as mesmas daqui a dois anos. E, nesse contexto, enfrenta-se um desafio: garantir a compatibilidade dos sistemas e a segurança dos dados. 

Essa necessidade se torna ainda mais evidente quando falamos de multi-cloud. Em linhas gerais, trata-se de utilizar diferentes ambientes de nuvem para realizar as tarefas. Do armazenamento de arquivos ao gerenciamento das operações, tudo está on-line – por vezes, graças a serviços de fabricantes diferentes.

Não importa se estamos falando de cloud privada, pública ou híbrida. Qualquer que seja o modelo, é preciso garantir que as informações da companhia estejam num local seguro, livre de ameaças virtuais. Portanto, seu negócio deve investir em sistemas integrados, que “conversem” entre si e assegurem a proteção dos dados. Essa é uma tarefa para as soluções da Veeam.

Veeam oferece integração na estratégia multi-cloud

Uma estratégia multi-cloud pode ser tecnicamente complexa, ainda mais nesse cenário de transformações tecnológicas que descrevemos. Porém, é imprescindível adotá-la, e por um motivo bem simples: a maioria das organizações depende de mais de um serviço de nuvem.

Pense nos nomes populares do mercado: Microsoft, IBM ou Amazon. Todos eles oferecem serviços on-line – ou você nunca ouviu falar no Office 365, versão cloud based para o pacote que inclui Word e Excel?

O que as soluções da Veeam fazem é, justamente, integrar o ambiente multi-cloud.

Comecemos com Veeam para Microsoft Cloud. Esse produto simplifica a ponte entre o data center e a interface gráfica do software. Em outras palavras, qualquer demanda pode ser executada instantaneamente, pois o usuário tem um acesso rápido e seguro às informações. O sistema também realiza backups para o Azure, mitigando eventuais problemas de perda de documentos.

A integração também é total com IBM Cloud. Veeam oferece backup e cópia de arquivos para mais de 55 bancos de dados do fabricante espalhados pelo mundo. É como se a estrutura da IBM fosse a estrutura de sua própria empresa – e tudo isso a um custo reduzido.

Falando nisso, outro gigante do setor de Infraestrutura como Serviço (IaaS) é o Amazon Web Services (AWS). Pois as soluções Veeam também ajudam a reduzir despesas e otimizar o tempo na migração de dados para esse ambiente virtual.

Por que escolher Veeam para as soluções cloud based

Desde que começou a atuar no Brasil, a companhia de software a Veeam conquistou importantes players. Entre eles, destacam-se a Unimed Ribeirão Preto, a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe.

A rápida expansão no território nacional tem razão de ser. É que a companhia oferece soluções para negócios que precisem atuar em operação constante. Ela aproveita a capacidade dos data centers modernos para reduzir o tempo de recuperação em todas as aplicações. Na prática, isso significa mais agilidade.

Segundo o vice-presidente da Veeam para a América Latina, Vitaly Sukhovsky, as organizações “apostam forte na gestão de dados inteligente e na segurança. Em uma era na qual tudo é missão crítica e os dados são gerados por máquinas em sua maioria, essa é a única forma de ser bem-sucedido, preparando-se não só para o hoje como para o futuro”.

Quer se preparar para o futuro você também? Então confie nas soluções Veeam para seu ambiente multi-cloud.

Cisco lidera setor de cibersegurança no mundo

Cisco lidera setor de cibersegurança no mundo

A Cisco superou os principais concorrentes e se tornou líder em cibersegurança no mundo. De acordo com um levantamento da consultoria especializada Canalys, a fatia de mercado da empresa cresceu 22,5% no período de um ano. Isso a põe à frente de nomes como Palo Alto Networks, Check Point, Fortinet e IBM.

Investimento em cibersegurança deve crescer em 2020

A explicação para tamanho sucesso tem a ver com uma mudança de estratégia. As companhias que oferecem soluções em segurança digital vêm solidificando outros modelos de desenvolvimento. Isso significa, por exemplo, investir mais em novas fontes de receita, como os serviços por assinatura. As transações entre marketplaces na nuvem também ficaram mais comuns.

Tanto Cisco quanto Palo Alto Networks, Barracuda e Check Point aparecem no topo da lista de empresas de cybersecurity no principal marketplace do gênero, AWS Marketplace. Esses fabricantes vendem suas soluções virtuais num ritmo contínuo. Trata-se de uma pequena porção de toda a renda gerada, mas que representa uma área de negócios promissora.

Isso porque a pesquisa da Canalys mostrou, ainda, que 2018 foi um ano espetacular para o setor de segurança digital. O investimento global atingiu incríveis 37 bilhões de dólares, o que representa um crescimento de 9% em relação aos números do ano anterior.

Ainda assim, a cibersegurança corresponde a apenas 2% de tudo que foi investido em TI no ano passado. Ou seja: mesmo que as organizações se preocupem com a proteção de sistemas e de dados, ainda há muito o que avançar nas estratégias digitais mundo afora.

Na opinião da Canalys, o investimento em segurança de TI deve subir nos próximos anos, uma vez que os ciberataques estão ficando mais sofisticados. Esse fenômeno exige a adoção de novos produtos, o que acaba sendo uma oportunidade de crescimento para fabricantes como a Cisco. A análise prevê que, mundialmente, o orçamento destinado à proteção dos sistemas ultrapasse a marca de 42 bilhões de dólares em 2020.

Cisco e a cibersegurança na nuvem

A transição para modelos de cibersegurança mais inteligentes deve, mesmo, se dar em breve. Inclusive, isso já está acontecendo, conforme indicam os analistas responsáveis pelo estudo. O público está mudando de comportamento, aderindo à nuvem pública sem tanta desconfiança quanto no passado.

Junto a isso, os consumidores têm experimentado modelos mais flexíveis de contratação de serviços baseada na assinatura on-line. A pesquisa revelou que 82% do mercado ainda utilizam as soluções tradicionais de cibersegurança, com estruturas próprias de hardware e software. O restante prefere as aplicações virtuais (cybersecurity as a service). Contudo, a previsão é que os modelos tradicionais caiam para 70% em 2020.

À medida que novas soluções se tornam populares, os fornecedores têm que diversificar seu modelo de negócio. Pelo que se pôde perceber, nomes como a Cisco estão no caminho certo.

Quer saber quais são os produtos mais indicados para a sua empresa? Então entre em contato com a NetFive. Nossa equipe trabalha com as marcas mais respeitadas do ramo de TI e pode ajudar você a reforçar a segurança de suas operações.

Infraestrutura de TI: quando é hora de investir mais?

Infraestrutura de TI: quando é hora de investir mais?

A tecnologia vem se tornando, cada vez mais, um diferencial competitivo nas empresas. Só que um pequeno empreendimento não requer a mesma estrutura de TI de uma grande corporação. Como dimensionar os recursos conforme a realidade do negócio? E mais: como saber quando é a hora de destinar verba extra para essa área? É disso que vamos tratar no post de hoje.

Como investir em infraestrutura de TI

Você não precisa sair adquirindo os equipamentos mais modernos nem os softwares de última geração. Antes de investir em TI, pergunte-se quais são as necessidades de seu estabelecimento. A infraestrutura deverá agregar valor às operações: elevar a produtividade, diminuir os custos ou reforçar a segurança dos dados, por exemplo.

Com base nessas informações, faça uma pesquisa de mercado. Compare o preço das soluções de cada fornecedor. Lembre-se, ainda, de esclarecer as dúvidas técnicas.

Nem sempre o produto mais barato é vantajoso, pois pode entregar resultados aquém do desejado. No outro extremo, uma rede muito robusta também pode se mostrar inadequada. Se a sua demanda é baixa, não tem por que montar uma parafernália complexa e onerosa demais.

Ou seja: esse é o momento de entender o que cada solução é capaz de fazer pelo seu negócio. Isso ajuda a definir o melhor custo/benefício.

Aliás, agora chegamos a um ponto nevrálgico: fôlego financeiro. Melhorias estruturais demandam capital, mas nem todas as companhias conquistam o faturamento necessário para se manterem atualizadas. Querendo ou não, o investimento em TI vai depender do orçamento disponível. Verba curta significa menos opções viáveis.

Ainda bem que, atualmente, existem serviços na nuvem que se mostram bem em conta. Firewall, servidores e sistemas de gerenciamento são algumas das opções que podem funcionar on-line, reduzindo significativamente as despesas. Ainda assim, note que seu escritório precisará de cabos, roteadores, switchers e outros equipamentos físicos.

Quando reforçar o investimento em TI

O bom de montar uma estrutura de TI do zero é que se cria um ambiente novinho em folha, pronto para atender às suas necessidades. No caso de uma estrutura já existente, é preciso fazer uma adaptação – seja substituindo equipamentos, seja atualizando o software.

De todo modo, ficaria difícil determinar um momento único para essa mudança. Talvez você tenha que investir mais em TI porque a empresa cresceu e os equipamentos atuais não dão conta do novo fluxo de trabalho. Talvez a tecnologia tenha ficado defasada, o que causa brechas de segurança. Há, até mesmo, a necessidade de manutenção devido ao desgaste dos materiais.

Resumindo, deve-se atualizar a infraestrutura sempre que houver razão para isso. Portanto, sugerimos que você preveja os custos com TI no planejamento estratégico do negócio. Essa área é tão fundamental quanto os setores administrativo e financeiro, então merece atenção constante.

Precisa de ajuda? Aproveite para aprofundar a leitura! Temos um post com quatro motivos para contratar uma empresa de TI. Esperamos que as informações sejam úteis para você fazer decisões acertadas no seu empreendimento.

E não se esqueça: a NetFive trabalha com os parceiros mais renomados do mercado. Confira nosso site e saiba quais soluções podemos lhe oferecer.

Quem é o CISO e qual papel desempenha na organização?

Quem é o CISO e qual papel desempenha na organização?

Os avanços tecnológicos têm impacto direto num negócio (e não estamos falando apenas de produtividade). Volta e meia, as organizações precisam se adaptar às demandas do mercado, o que também significa modificar a estrutura de comando da empresa. Por exemplo, a figura do CISO têm ganhado cada vez mais destaque. Você sabe do que se trata?

O que um CISO faz

CISO é a sigla para Chief Information Security Officer. Trata-se do profissional responsável pela segurança de dados numa companhia.

Em tempos de serviços na nuvem e trocas de informações pela internet, essa área se mostra particularmente relevante. Porém, talvez a melhor maneira de mostrar a importância do cargo seja descrevendo algumas de suas responsabilidades. Elas incluem:

– Análise em tempo real de possíveis ameaças ou brechas nos sistemas de proteção de dados;

– Triagem quando ocorre algum incidente mais grave;

– Investigação para saber a causa de eventuais problemas, bem como para determinar maneiras de evitar a repetição dos erros;

– Ações de ciberinteligência, ajudando os executivos a compreender os problemas que possam surgir com a compra de novos equipamentos ou a migração de softwares;

– Prevenção à perda de dados ou a fraudes;

– Atenção às boas práticas para evitar vazamentos de informações, tanto por falha humana quanto por má-fé dos colaboradores;

– Implementação de programas para mitigar riscos;

– Planejamento, compra e instalação de hardware e software que melhorem a arquitetura de segurança da organização;

– Gerenciamento dos sistemas, garantindo que apenas pessoal autorizado tenha acesso a dados restritos;

– Gestão da área para assegurar que todos os processos estejam alinhados e que os recursos financeiros alocados sejam compatíveis com as necessidades.

Basicamente, deu para ver que o CISO entende de TI. Porém, mais que conhecimento técnico, esse executivo deve desenvolver um pensamento estratégico, alinhado com os objetivos da empresa. Familiaridade com administração e finanças também são habilidades necessárias para o desenvolvimento de um trabalho eficiente.

Diferenças entre CIO, CTO e CISO

Os grandes players do mercado já estão familiarizados com outras siglas, como CIO e CTO. Essas funções também são relativas à tecnologia, mas diferem-se das atribuições de um CISO. Veja bem.

O Chief Information Officer (CIO) lida com a parte operacional da TI. Seu papel é assegurar que os equipamentos e os sistemas funcionem. Ele trata das operações internas do negócio, definindo padrões e procedimentos que deverão ser adotados pela equipe. Também pode se encarregar de treinamentos.

Por sua vez, o Chief Technology Officer (CTO) busca novas tecnologias para manter a empresa competitiva. Esse profissional tem o foco em soluções de longo prazo. Por exemplo, pode propor a migração e a integração de sistemas para elevar a produtividade ou a lucratividade. Geralmente, está subordinado ao CIO.

Já o CISO se preocupa exclusivamente com a segurança de dados. O Chief Information Security Officer se reporta diretamente ao diretor ou CEO da organização. Seu papel é estratégico, na medida em que monitora e analisa riscos em potencial para impedir o vazamento de informações. Trata-se de uma responsabilidade imensa, visto que os ciberataques estão cada vez mais sofisticados.

Quer saber mais? Então continue a leitura e veja por que seu empreendimento precisa de um vCISO. Até a próxima!

Servidores ThinkSystem, da Lenovo, oferecem mais disponibilidade

Servidores ThinkSystem, da Lenovo, oferecem mais disponibilidade

O portfólio de servidores x86 da Lenovo, incluindo o ThinkSystem, oferece o melhor tempo de atividade da categoria há seis anos seguidos. A informação está na edição mais recente do Global Server Hardware, Server OS Reliability Report, relatório divulgado pela Information Technology Intelligence Consulting (ITIC).

Essa consultoria, com sede em Boston (EUA), realiza pesquisas sobre diversos tópicos relacionados à tecnologia. A missão da ITIC é fornecer conselhos táticos, ajudando fornecedores e empresas a compreenderem os eventos que influenciam e impactam sua infraestrutura e seu orçamento de TI.

Relatório aponta superioridade dos servidores Lenovo

A Pesquisa Global de Confiabilidade de Sistema Operacional e de Servidor 2019 da ITIC contou com a participação de executivos e gerentes de TI de mais de 1.000 companhias em todo o mundo. Como sempre, para manter a objetividade, não houve patrocínio de fornecedores e nenhum dos respondentes recebeu qualquer tipo de remuneração.

O material foi coletado, via internet, entre outubro de 2018 a janeiro de 2019. O levantamento comparou a confiabilidade e a disponibilidade de 18 diferentes plataformas de servidor e uma dúzia de distribuições de sistema operacional.

“A confiabilidade do servidor é imperativa. Os sistemas e as redes estão cada vez mais interconectados. Falhas de poucos minutos interrompem a produtividade e afetam negativamente os resultados”, disse Laura DiDio, analista principal da ITIC, em nota divulgada à imprensa.

“O custo do tempo de inatividade contínuo segue aumentando”, acrescentou ela. “Uma maioria de 86% dos entrevistados da ITIC diz que uma hora de tempo ocioso custa mais de US$300.000, e 34% de todas as empresas afirmam que o custo agora chega a um milhão.”

Entre os principais servidores, o IBM POWER8 e o IBM POWER9, juntamente com os servidores Lenovo x86, incluindo o Lenovo ThinkSystem, forneceram os mais altos níveis de tempo de atividade. Cada plataforma teve uma média de pouco menos de dois minutos de tempo de inatividade não planejado por ano/por servidor.

Confira os principais resultados da pesquisa

O IBM Z, o IBM Power Systems e o portfólio de servidores x86 da Lenovo, juntamente com o HPE Integrity e o Huawei KunLun, forneceram os mais altos níveis de disponibilidade de servidores, aplicativos e serviços. Ou seja: quando havia alguma interrupção, devido a uma falha inerente do sistema, a duração era baixa (entre um e cinco minutos).

Os participantes do questionário também deram notas altas a IBM, Lenovo, HPE, Huawei e Dell no que dizia respeito ao suporte técnico. Oito em cada 10 entrevistados classificaram o suporte da IBM e da Lenovo como “Excelente” ou “Muito Bom”. Apenas 1% dos clientes da IBM e da Lenovo e 3% dos usuários da HPE e da Huawei deram a esses fornecedores classificação “Ruim” ou “Insatisfatória”.

Ainda, os servidores IBM, Lenovo e Huawei tiveram menos problemas de qualidade ou falhas de disco rígido entre todas as distribuições de servidor nos primeiros anos de serviço. Menos de um por cento (0,4%) do IBM Z, por exemplo, apresentou falhas técnicas no primeiro ano de uso. Em seguida, vieram IBM Power Systems e Lenovo System, com 1% durante os primeiros 12 meses de implantação.

A edição 2019 do ITIC Global Server Hardware, Server OS Reliability Report está disponível on-line, na íntegra. Acesse e confira mais detalhes (em inglês).

Vantagens do monitoramento 24×7 da infraestrutura de TI

Vantagens do monitoramento 24×7 da infraestrutura de TI

A infraestrutura de TI tem se tornado um ponto crítico para as organizações. À medida que as empresas dependem mais e mais de sistemas informatizados, os gestores precisam antecipar problemas e evitar acidentes. Neste post, vamos explicar por que um monitoramento 24×7 garante mais segurança aos processos.

O que é o monitoramento 24×7 da infraestrutura de TI

Faz tempo que o velho horário comercial deixou de ser parâmetro para os negócios. Embora algumas companhias ainda funcionem das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira, essa não é mais a realidade em diversos segmentos do mercado. Basta pensar num shopping center aberto aos fins de semana ou numa loja de conveniência de um posto de gasolina.

Ainda no comércio de bens e serviços, podemos citar os restaurantes que realizam tele entrega até altas horas da noite, ou mesmo o e-commerce “aberto” a qualquer hora do dia. Isso sem contar o setor industrial, cuja produção a pino pode virar a madrugada.

O que todos esses empreendimentos têm em comum é a necessidade de recorrer a uma infraestrutura de TI. Seja para controlar os processos de fabricação de um automóvel, seja para gerenciar os pedidos numa loja de departamentos, lá estão os sistemas automatizados. E essas soluções, por mais confiáveis que sejam, estão sujeitas a ameaças e ataques digitais.

O monitoramento 24×7, como o nome indica, atua 24 horas por dia, sete dias por semana. Trata-se de uma estratégia proativa. A equipe de plantão pode tomar a ação necessária assim que um incidente ocorra. Também há uma manutenção constante, de forma a antever situações de risco e detê-las antes que o pior aconteça.

Por que recorrer ao monitoramento 24×7 da TI

Para que você perceba com mais clareza as vantagens do monitoramento 24×7 da infraestrutura de TI, listamos elas em tópicos. Confira:

  1. Aumento da resolução de problemas

As equipes de suporte precisam conduzir testes, elaborar diagnósticos e interpretar os resultados para chegar às soluções de um problema de TI. Nem sempre é um trabalho fácil ou imediato.

Ao recorrer ao monitoramento 24×7, você delega o trabalho a especialistas. Eles têm a competência e o conhecimento para buscar respostas eficientes aos desafios do dia a dia.

  1. Diminuição de riscos

O monitoramento constante da infraestrutura de TI também reduz a possibilidade de ataques externos. O próprio sistema acusa movimentações suspeitas e indica possíveis caminhos para evitar problemas. No entanto, às vezes cabe a uma pessoa de carne e osso definir qual será a ação a ser tomada.

Agora imagine que um ataque de ransomware ocorreu no fim de semana e todos os funcionários estão de folga. Caos na certa, né? Melhor contar com uma solução 24×7 para dirimir contratempos.

  1. Elevação da produtividade

Se o sistema cai, a empresa pára. Isso significa prejuízo imediato. Portanto, a infraestrutura deve estar operante o tempo todo, principalmente se as atividades vão além do horário comercial.

Como o monitoramento 24×7 reforça a infraestrutura de TI e segurança dos sistemas automatizados, a organização não perde tempo. O site de vendas permanece no ar e a indústria atinge as metas de produção.

Quer saber mais sobre a relação entre TI e produtividade? Acesse o link e confira!

Esperamos que o artigo de hoje tenha sido útil para você. Obrigado pela leitura e até a próxima.

FECHAR [X]

Quer entender como serviços gerenciados poderão impactar em sua empresa?

Você também pode ligar para nós e conversar com um consultor

51 3061-4446

X

NOVO E-BOOK IMPACTO
DA TI

NO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS EMPRESAS

Esse ebook ajudará a entender o real impacto da TI no planejamento estratégico da sua empresa!