Infraestrutura na nuvem diminui riscos de segurança

Infraestrutura na nuvem diminui riscos de segurança

A popularização da infraestrutura de TI na nuvem parece ser um caminho sem volta. De acordo com a pesquisa Global CIO 2018, 90% dos entrevistados afirmam que suas organizações utilizam cloud computing. O estudo foi feito com 1.473 participantes de 71 países, inclusive o Brasil.

(mais…)

Cloud pública X Cloud privada: qual é a melhor para sua empresa?

Cloud pública X Cloud privada: qual é a melhor para sua empresa?

O data center é o “coração” de um sistema de TI.  Lá são armazenadas, processadas e distribuídas as informações da rede. Portanto, é preciso encontrar uma solução que atenda às demandas de sua empresa. Tanto a Cloud pública quanto a Cloud privada (infraestrutura local) apresentam vantagens.

(mais…)

IBM anuncia compra da Red Hat e deve crescer na nuvem

IBM anuncia compra da Red Hat e deve crescer na nuvem

A gigante IBM anunciou esta semana que vai comprar outra multinacional, a Red Hat, por US$ 34 bilhões. Trata-se de uma estratégia para diversificar os negócios e ampliar a margem da companhia.

A Red Hat, embora não seja tão conhecida dos consumidores finais, é especialista em soluções corporativas. Seu foco está no sistema operacional Linux, cujo código aberto o torna um dos principais concorrentes do Windows.

IBM deve comprar Red Hat por US$ 34 bilhões

Esta será a maior aquisição já realizada pela IBM. Em entrevista à agência Reuters, a presidente-executiva da empresa, Ginni Rometty, alegou que a transação representa uma sinergia de crescimento. Faz sentido, visto que os nomes tradicionais do mercado de tecnologia têm enfrentado a concorrência direta de diferentes serviços, especialmente os de computação em nuvem.

A receita total da IBM caiu de US$ 79,9 bilhões em 2016 para US$79,14 bilhões em 2017. Ela vem enfrentando a desaceleração nas vendas de softwares por assinatura e a redução da demanda por servidores de processamento de dados. Ainda segundo a Reuters, as ações também perderam quase um terço do valor nos últimos cinco anos, enquanto os papéis da Red Hat subiram 170% no mesmo período.

Ou seja, o acordo pode abrir oportunidade para uma competição direta com outras gigantes da indústria, como Amazon, Alphabet e Microsoft. A IBM, que tem um valor de mercado estimado em US$ 114 bilhões, pagará US$ 190 por ação em dinheiro da Red Hat. Na última segunda-feira (29), após a divulgação da compra, as ações dessa produtora de software subiram 50%.

Red Hat: por que a empresa de código aberto é atrativa?

Outras companhias já vinham negociando com a Red Hat, de acordo com reportagem da CNBC. Entre elas, estaria até mesmo o Google. Mas o que essa empresa tem para ser tão atrativa?

Fundada em 1993 por Marc Ewing e Bob Young, ela comercializa um produto de destaque: a plataforma Red Hat Enterprise Linux, que consiste num sistema operacional alternativo ao Windows, com foco no público corporativo. Há diversas opções para servidores e desktops.

Porém, a grande fonte de renda vem das soluções de armazenamento, virtualização e computação em nuvem próprias. A Red Hat também fatura com treinamento e suporte para os clientes que adotam suas soluções, além de oferecer consultoria.

Ainda, a marca tem papel atuante na comunidade de softwares de código aberto. Em 2017, foi responsável por quase 6 mil alterações feitas no kernel do Linux, a base do sistema. As melhorias correspondem a 7,2% do total de modificações.

Não bastasse isso tudo, a Red Hat contribui com o GNOME, um ambiente de desktop para tornar o visual do Linux mais próximo ao dos sistemas operacionais populares. Alguns desenvolvedores também se dedicam ao LibreOffice, uma opção aberta de programas similares ao pacote Office da Microsoft.

A Red Hat foi a primeira empresa de código aberto a atingir US$ 1 bilhão de receita. Isso foi em 2012. Cinco anos depois, o faturamento já chegava a US$ 2,9 bilhões.

A intenção é que a empresa opere de forma independente, com mínimas interferências da compradora. Ainda assim, o negócio permitirá que a IBM cresça no setor de infraestrutura de nuvem híbrida, que combina servidores privados com soluções de terceiros na nuvem. Considerando apenas os serviços de nuvem públicos, Amazon, Microsoft e Google detêm as primeiras posições na briga pelo mercado.

Lenovo e NetApp firmam parceria para produtos de armazenamento digital

Lenovo e NetApp firmam parceria para produtos de armazenamento digital

A economia global demanda novas soluções para estruturas de TI. Com esse pensamento, a Lenovo e a NetApp uniram forças para acelerar a transformação digital de seus clientes. A seguir, saiba mais sobre essa parceria, que promete trazer tecnologia inovadora e uma experiência simplificada ao público.

Lenovo e NetApp: gigantes da tecnologia unem forças

O anúncio da aliança foi feito durante a conferência Transform 2.0, em Nova Iorque. De acordo com representantes das empresas, ambas estão desenvolvendo, em conjunto, a mais ampla gama de novos produtos de armazenamento com a marca Lenovo. Eles combinam as soluções de gestão de dados flash da NetApp, líder do segmento, com a premiada infraestrutura ThinkSystem.

Os novos produtos utilizarão a tecnologia de software central da NetApp e serão fabricados pela Lenovo, alavancando a cadeia de suprimentos de categoria internacional da companhia. Como líderes de inovação em computação de alto desempenho, as organizações estão preparadas para possibilitar aos clientes do mundo inteiro uma modernização de suas arquiteturas de TI. Isso vale tanto aos sistemas físicos quanto às soluções na nuvem.

“A Lenovo está comprometida a conduzir a nova TI – Transformação Inteligente – por meio de um conjunto de data centers centrado no consumidor, e que está em expansão”, disse, em nota à imprensa, Yang Yuanqing, presidente do conselho e diretor executivo da empresa.

Para George Kurian, diretor executivo da NetApp, a parceria oferecerá “um portfólio abrangente e incomparável de produtos, soluções e serviços no mercado atual”. Ele também acredita que a união de forças das duas gigantes deve estabelecer “um novo padrão para acelerar o sucesso de nossos clientes”.

Novas soluções para gestão de dados

Os primeiros resultados dessa colaboração – Lenovo ThinkSystem Séries DE e DM – estarão imediatamente disponíveis para compra no mundo todo. “Estamos trazendo essas novas soluções de gestão de dados e armazenamento para empresas em mais de 160 países, com uma rede de serviços e uma cadeia de suprimentos inigualável, por meio de um ecossistema global de parceiros cada vez mais consolidado”, comentou Kirk Skaugen, vice-presidente executivo da Lenovo e presidente do Lenovo Data Center Group.

Vale lembrar que a Lenovo está classificada entre os cinco principais nomes da tecnologia em todo o globo, segundo a Gartner. Com um valor estimado em US$ 45 bilhões, a companhia é líder em dispositivos e infraestrutura inteligentes, que criam a melhor experiência do usuário e levam à transformação digital.

A Lenovo produz uma das mais amplas carteiras de produtos conectados do mundo, incluindo smartphones Motorola, tablets, PCs e estações de trabalho completas. Também é responsável pelas soluções de centros de dados ThinkSystem e ThinkAgile.

Já a NetApp é uma das maiores autoridades em dados para nuvem híbrida. A organização fornece uma gama completa de serviços que simplificam a gestão de aplicativos e de ambientes internos. Dessa forma, ajuda a qualificar as corporações, incentivando à inovação e otimizando as operações.

Pelo visto, o trabalho conjunto dessas duas referências da indústria renderá ainda mais produtividade à clientela. Gostou da novidade? Então continue de olho no blog da NetFive para conferir mais dicas e notícias de TI.

FECHAR [X]

Quer entender como serviços gerenciados poderão impactar em sua empresa?

Você também pode ligar para nós e conversar com um consultor

51 3061-4446

X

NOVO E-BOOK IMPACTO
DA TI

NO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS EMPRESAS

Esse ebook ajudará a entender o real impacto da TI no planejamento estratégico da sua empresa!