A tecnologia avança cada vez mais rápido e, junto a isso, cresce a preocupação com a segurança. Quanto mais ambientes virtuais e dispositivos conectados à rede, maior a superfície de ataque. Portanto, se você zela pela proteção dos dados de sua empresa, deve encontrar soluções para barrar as ameaças digitais.

5 ciberameaças em ambientes corporativos

Em grandes corporações, esse é um trabalho específico do diretor de tecnologia, ou CTO (Chief Technology Officer). Porém, até mesmo empreendimentos menores, que não tenham um departamento específico para tratar do assunto, podem aproveitar as dicas a seguir. Conheça cinco ciberameaças do ambiente corporativo, de acordo com John Maddison, vice-presidente sênior de Produtos e Soluções da Fortinet.

1. Internet das Coisas (IoT)

Não são apenas computadores e smartphones que estão conectados à internet. Dispositivos para controle de inventário, rastreamento de mercadoria e sistemas de manufatura também utilizam a rede para se comunicar entre si. De acordo com previsão do grupo Gartner, metade dos processos de empresas terão algum componente de IoT até 2020.

O problema é que equipamentos do tipo não possuem ferramentas de segurança básicas, como protocolos de autenticação. Assim, ficam suscetíveis a ataques.

2. Soluções na nuvem

O grande problema do cloud computing, segundo a Fortinet, é que “os serviços são realizados fora do perímetro de visão das soluções de segurança tradicionais”. Essa falta de visibilidade – e, consequentemente, de controle – é um obstáculo para o monitoramento das atividades.

O relatório de cibersegurança Cisco 2018 aponta que muitas falhas ocorrem devido à imprudência dos próprios usuários. Os colaboradores fazem download de arquivos suspeitos, por exemplo, o que compromete toda a estrutura de TI.

3. Ransomware

Nesse tipo de ataque, os criminosos capturam dados sigilosos e ameaçam revelá-los, a menos que seja pago um “resgate” pelas informações. Alguns empreendedores preferem bancar esse valor, pois o consideram um preço razoável para retomar as operações normais.

Cerca de 40% dos participantes de outro estudo da Cisco alegaram ter tido ao menos oito horas de inoperância no último ano, devido a problemas de segurança. A queda de produtividade acaba levando a um prejuízo tão alto que as corporações resolvem ceder à chantagem dos sequestradores digitais. Dos males, o menor.

4. SSL

Com o tráfego de informações crescendo em ritmo exponencial, os dispositivos tradicionais ficam sobrecarregados. E muitos deles utilizam um recurso de criptografia conhecido como SSL (Secure Socket Layer).

Embora o SSL proteja os dados da rede corporativa, ele também é usado por cibercriminosos para ocultar malwares, monitorar as atividades e realizar operações para fins escusos. Aí, como é difícil atualizar as ferramentas de segurança, muitas empresas resolvem simplesmente não criptografar mais o tráfego – o que também expõe o ambiente a riscos.

5. Escassez de profissionais

A área de TI tem um déficit importante de mão de obra, então não seria diferente nas questões de cibersegurança. Os desafios são cada vez mais sofisticados, demandando atualização constante de conhecimento.

Para John Maddison, essa escassez fica evidente em razão do aumento no número de soluções de software de segurança. Integrá-los e gerenciá-los, portanto, torna-se uma tarefa para poucos.

Felizmente, a NetFive possui uma equipe de profissionais apta a encarar qualquer projeto. Conte conosco para reforçar a segurança em sua estrutura de TI.

FECHAR [X]

Quer entender como serviços gerenciados poderão impactar em sua empresa?

Você também pode ligar para nós e conversar com um consultor

51 3061-4446

X

NOVO E-BOOK IMPACTO
DA TI

NO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS EMPRESAS

Esse ebook ajudará a entender o real impacto da TI no planejamento estratégico da sua empresa!